Simplifique e potencialize sua apresentação profissional de UX/UI Designer

Pensar em UX é a estaca zero

Antes mesmo de escolher qual plataforma utilizar, você precisa ter plena ciência do objetivo de seu portfolio. Lembre-se que você é um UX/UI Designer, que pensa nos usuários acima de tudo: então considere que os usuários de seu portfolio não são seus amigos, familiares ou pessoas que nada entendem de Design, mas sim, empresas e recrutadores que precisam te avaliar de forma justa conforme o profissional que você é nesse momento. Dada essa premissa, seu portfolio pode também ter outra grande utilidade, que é inspirar outros UX/UI Designers. Mas vamos nos ater à primeira.

Listo abaixo, de forma resumida, 5 pilares importantíssimos para a construção de seu portfolio em qualquer plataforma:

1. Apresente-se bem

Além de as empresas quererem ver seu trabalho, também querem entender seu perfil. Apresentar-se bem, de forma clara e direta, é muito importante como introdução de sua apresentação profissional. Mencione quem você é, suas especialidades, diferenciais, o que está fazendo agora e o que busca em sua carreira, entre outros pontos que considerar relevantes.

2. Liste seus Projetos

Ao primeiro momento, mostrar que você já atuou em mais de um projeto é desejável. Seja em forma de grid ou de lista, apresente a introdução de cada projeto com título e subtítulo bem curto sobre do quê se trata, pra quem foi e seu papel nele. Dessa forma, recrutadores vão esperar encontrar a mesma qualidade de informação em qualquer um dos seus projetos.

3. Detalhe-os corretamente

Aqui você precisa acertar em cheio. Muito mais importa seu processo do que o resultado final, mesmo que você seja um UI / Visual Designer de mão cheia e ser orgulhe muito do refinamento das telas finais. É importantíssimo criar e seguir um padrão da forma que apresenta as informações, usando-o em todos os projetos, pois como serão bem diferentes uns dos outros, a padronização da estrutura fará com que seus projetos tenham a mesma consistência, facilitando o consumo das informações e gerindo bem a expectativa do avaliador.

4. Garanta que os objetivos sejam atingidos

Conforme citado anteriormente, é evidente que seu portfolio tem um objetivo final, que é o avaliador se interessar por você e decidir fazer contato. Logo, considere que garantir a facilidade dessa conexão é um fator simplesmente indispensável. Além de obviamente as informações de contato estarem presentes e visíveis, tenha a certeza da funcionalidade dos botões.

5. Teste e revise. De novo

Por fim, como um bom UX/UI Designer, você precisa testar seu portfolio como se ele fosse um de seus produtos. Faça uma revisão minuciosa em cada página (se certificando que hajam pontos de saída e/ou continuidade e links corretos), conteúdo (erros gramaticais e ortográficos) e informações de contato (telefones atualizados e e-mails que sejam lidos com frequência diária), para evitar que “perca pontos” por motivos que nada tem a ver com sua qualificação profissional.

Escolhendo uma plataforma

Com esses pontos compreendidos, você pode agora então escolher a melhor plataforma para apresentar-se profissionalmente. O que já é esperado nesse momento é que algumas plataformas vão favorecer um ponto mais do que outro, por isso construir uma boa estrutura vem primeiro. Veja a seguir as opções que recomendamos:

Seu próprio site

Essa é, sem dúvida, e melhor forma de apresentar-se profissionalmente. Ter um site próprio significa, já de antemão, que houve uma preocupação maior e um cuidado a mais, o suficiente para que houvesse tempo dedicado para sua construção. É importante mencionar aqui que não é necessário que o seu site seja algo mirabolante, produzido 100% do zero, com uma criação digna de prêmio internacional, fazendo tudo “na unha” para chegar a um refinamento monstruoso.

Se você prezar pelo pontos mencionados anteriormente e chegar a um resultado simples e objetivo em um domínio www.seunome.com, é mais do que suficiente para gerar o impacto esperado. Note que, se você tiver um site próprio e também um portfolio em alguma plataforma, a preferência do avaliador sempre será pelo site, uma vez que ele escolherá qual dessas página irá avaliar.

Para que obtenha resultados rápidos e satisfatórios, você pode usar plataformas de publicação de sites que oferecem templates, como o WordPress, Squarespace, Cargo Collective e Wix — E outros mais sofisticados que requerem mais aprofundamento e dedicação, como o Webflow e o EditorX (nova ferramenta do Wix).

Behance

Atualmente é a plataforma mais popular. Como “parte” do pacote Adobe Creative Cloud, mesmo que você não seja assinante, pode criar seu portfolio sem custo algum, tendo acesso a ferramentas bem interessantes. Como o Behance originalmente não era da Adobe, sua aquisição pela gigante só gerou impactos positivos: Atualmente ele oferece aulas ao vivo por streaming diariamente com profissionais do mundo inteiro em diversos apps, tem uma espécie de Stories onde pessoas postam seus “WIP” (work in progress — projetos em construção, em tradução livre), há seções para buscar e criar vagas pelo mundo e ainda um blog exclusivo, o 99U, que traz conteúdos excelentes para todo tipo de designer.

Se você for assinante, há um extra muito significativo: O Adobe Portfolio. Com ele, é possível criar o seu site sem custo adicional, podendo carregar e moderar os projetos que já estão dispostos em seu perfil do Behance em uma espécie de função on/off. Ou seja, você não precisa escrever e montar seus projetos novamente: Basta apenas escolher, ativando ou desativando conforme quiser. E além de tudo isso, ele ainda dispõe de templates bacanas que são bem fáceis de customizar em uma interface intuitiva e robusta.

Apesar de todos esses benefícios, o Behance não é uma plataforma específica para UX/UI Designers, e sim para todo tipo de profissional de criação visual, como Ilustradores, videomakers, pintores, escultores, arquitetos, decoradores, entre outros. Logo, como é extremamente rico em diversidade (a maior base de usuários criativos do mundo), a chance de o recrutador se distrair com trabalhos alheios aos seus é enorme.

Medium

Apesar de ser uma plataforma para criação de conteúdo escrito, a popularidade do Medium tem feito com que UX/UI Designers o usem bastante pois os principais nomes do mundo em nosso setor o usam para expôr seus pensamentos, compartilhar experiências e trazer dicas, fazendo sua contribuição sem fins lucrativos para o crescimento e desenvolvimento da comunidade global.

Em decorrência disso, UX/UI Designers têm feito uso dessa plataforma para portfolios, especialmente UX Designers de várias especialidades (Researchers, Writers, etc.). A extrema simplicidade do Medium torna o processo de documentação de um case muito fácil, pois basta contar uma boa história de seu case com imagens e textos. A grande sacada de estar baseado no nele, além de não ter custo, é ser encontrado facilmente em um lugar que concentra muitos leitores da área em busca de informação relevante. Para os avaliadores é uma forma bem objetiva e direta de análise, pois já existe a premissa de que portfolios no Medium estarão em formato de histórias, o que os agrada muito.

UXFol.io

É uma das plataformas mais novas, que diferente do Behance, é focada em UX/UI Designers. Por conta disso, é bem prático criar o seu case de projeto pois ele oferece um modelo interessante para auxiliar na estruturação, diferentes templates para você customizar, hints para ajudar a construir um conteúdo convincente, “embeda” links dos seus protótipos, cria travas de acesso para projetos protegidos por NDA e ainda facilita que você colha feedbacks da comunidade. UXFol.io oferece um plano free com boas vantagens, mas permite a publicação de apenas 1 projeto.

Notion

Essa plataforma destina-se a organizar e planejar melhor equipes, com excelentes recursos para melhorar processos de criação de produto, recursos humanos, vendas e marketing, e inclusive, boas ferramentas de design. Com o aumento de sua popularidade, o Notion tem atraído muitos UX/UI Designers para construir seus cases pela facilidade de uso e custo zero para uso pessoal, podendo ser usada em Web App e também em Desktop App. Ela também permite, em planos pagos, que você crie um site próprio mais completo com uma finalização visual simples e satisfatória.

Opções a evitar

Há soluções que não são aconselhadas por dificultarem muito a avaliação de empresas e recrutadores, a saber:

Dribbble

Apesar de ser uma plataforma excelente para sua finalidade — que é prover a criativos de todos os tipos a possibilidade de mostrarem seus trabalhos ao mundo, criarem boards com projetos de outros criativos e serem vistos por potenciais contratantes — o Dribbble não é indicado para UX/UI Designers pois o foco de avaliação desse tipo de profissional é o racional por trás das telas finais. Apenas mostrá-las, por mais que sejam belíssimas, não é suficiente para uma avaliação correta sobre seu perfil profissional.

Apps de Prototipagem

Adobe XD, Figma, Sketch e outros são maravilhosos para sua finalidade original, mas não para a construção de portfolios. Por mais que você crie uma experiência memorável ao avaliador, ou queira impressionar mostrando suas habilidades nesses apps, atente ao fato de que o avaliador nem sempre as conhece, e por isso, não sabe como manuseá-las. De nada adianta você criar uma tela de contato no XD, sendo que os links não podem levar o visitante aos seus respectivos destinos; Menos ainda adianta mostrar a jornada do usuário completa, se o que o avaliador quer é passar tela a tela sem perceber o tamanho do seu site.

Conclusão

Mais importante do que a sua escolha da plataforma, é o mindset de UX/UI Designer por trás do seu portfolio. Lembre-se sempre quem será o seu usuário final. Se seu portfolio cumprir os requisitos básicos citados, a escolha da plataforma torna-se realmente irrelevante. Opte pelo simples e funcional, conforme seu perfil. Boa sorte!

We use cookies to give you the best experience. Cookie Policy

  1. Home
  2. Portfólio
  3. Qual a melhor plataforma para meu portfolio?

Qual a melhor plataforma para meu portfolio?

Simplifique e potencialize sua apresentação profissional de UX/UI Designer

Pensar em UX é a estaca zero

Antes mesmo de escolher qual plataforma utilizar, você precisa ter plena ciência do objetivo de seu portfolio. Lembre-se que você é um UX/UI Designer, que pensa nos usuários acima de tudo: então considere que os usuários de seu portfolio não são seus amigos, familiares ou pessoas que nada entendem de Design, mas sim, empresas e recrutadores que precisam te avaliar de forma justa conforme o profissional que você é nesse momento. Dada essa premissa, seu portfolio pode também ter outra grande utilidade, que é inspirar outros UX/UI Designers. Mas vamos nos ater à primeira.

Listo abaixo, de forma resumida, 5 pilares importantíssimos para a construção de seu portfolio em qualquer plataforma:

1. Apresente-se bem

Além de as empresas quererem ver seu trabalho, também querem entender seu perfil. Apresentar-se bem, de forma clara e direta, é muito importante como introdução de sua apresentação profissional. Mencione quem você é, suas especialidades, diferenciais, o que está fazendo agora e o que busca em sua carreira, entre outros pontos que considerar relevantes.

2. Liste seus Projetos

Ao primeiro momento, mostrar que você já atuou em mais de um projeto é desejável. Seja em forma de grid ou de lista, apresente a introdução de cada projeto com título e subtítulo bem curto sobre do quê se trata, pra quem foi e seu papel nele. Dessa forma, recrutadores vão esperar encontrar a mesma qualidade de informação em qualquer um dos seus projetos.

3. Detalhe-os corretamente

Aqui você precisa acertar em cheio. Muito mais importa seu processo do que o resultado final, mesmo que você seja um UI / Visual Designer de mão cheia e ser orgulhe muito do refinamento das telas finais. É importantíssimo criar e seguir um padrão da forma que apresenta as informações, usando-o em todos os projetos, pois como serão bem diferentes uns dos outros, a padronização da estrutura fará com que seus projetos tenham a mesma consistência, facilitando o consumo das informações e gerindo bem a expectativa do avaliador.

4. Garanta que os objetivos sejam atingidos

Conforme citado anteriormente, é evidente que seu portfolio tem um objetivo final, que é o avaliador se interessar por você e decidir fazer contato. Logo, considere que garantir a facilidade dessa conexão é um fator simplesmente indispensável. Além de obviamente as informações de contato estarem presentes e visíveis, tenha a certeza da funcionalidade dos botões.

5. Teste e revise. De novo

Por fim, como um bom UX/UI Designer, você precisa testar seu portfolio como se ele fosse um de seus produtos. Faça uma revisão minuciosa em cada página (se certificando que hajam pontos de saída e/ou continuidade e links corretos), conteúdo (erros gramaticais e ortográficos) e informações de contato (telefones atualizados e e-mails que sejam lidos com frequência diária), para evitar que “perca pontos” por motivos que nada tem a ver com sua qualificação profissional.

Escolhendo uma plataforma

Com esses pontos compreendidos, você pode agora então escolher a melhor plataforma para apresentar-se profissionalmente. O que já é esperado nesse momento é que algumas plataformas vão favorecer um ponto mais do que outro, por isso construir uma boa estrutura vem primeiro. Veja a seguir as opções que recomendamos:

Seu próprio site

Essa é, sem dúvida, e melhor forma de apresentar-se profissionalmente. Ter um site próprio significa, já de antemão, que houve uma preocupação maior e um cuidado a mais, o suficiente para que houvesse tempo dedicado para sua construção. É importante mencionar aqui que não é necessário que o seu site seja algo mirabolante, produzido 100% do zero, com uma criação digna de prêmio internacional, fazendo tudo “na unha” para chegar a um refinamento monstruoso.

Se você prezar pelo pontos mencionados anteriormente e chegar a um resultado simples e objetivo em um domínio www.seunome.com, é mais do que suficiente para gerar o impacto esperado. Note que, se você tiver um site próprio e também um portfolio em alguma plataforma, a preferência do avaliador sempre será pelo site, uma vez que ele escolherá qual dessas página irá avaliar.

Para que obtenha resultados rápidos e satisfatórios, você pode usar plataformas de publicação de sites que oferecem templates, como o WordPress, Squarespace, Cargo Collective e Wix — E outros mais sofisticados que requerem mais aprofundamento e dedicação, como o Webflow e o EditorX (nova ferramenta do Wix).

Behance

Atualmente é a plataforma mais popular. Como “parte” do pacote Adobe Creative Cloud, mesmo que você não seja assinante, pode criar seu portfolio sem custo algum, tendo acesso a ferramentas bem interessantes. Como o Behance originalmente não era da Adobe, sua aquisição pela gigante só gerou impactos positivos: Atualmente ele oferece aulas ao vivo por streaming diariamente com profissionais do mundo inteiro em diversos apps, tem uma espécie de Stories onde pessoas postam seus “WIP” (work in progress — projetos em construção, em tradução livre), há seções para buscar e criar vagas pelo mundo e ainda um blog exclusivo, o 99U, que traz conteúdos excelentes para todo tipo de designer.

Se você for assinante, há um extra muito significativo: O Adobe Portfolio. Com ele, é possível criar o seu site sem custo adicional, podendo carregar e moderar os projetos que já estão dispostos em seu perfil do Behance em uma espécie de função on/off. Ou seja, você não precisa escrever e montar seus projetos novamente: Basta apenas escolher, ativando ou desativando conforme quiser. E além de tudo isso, ele ainda dispõe de templates bacanas que são bem fáceis de customizar em uma interface intuitiva e robusta.

Apesar de todos esses benefícios, o Behance não é uma plataforma específica para UX/UI Designers, e sim para todo tipo de profissional de criação visual, como Ilustradores, videomakers, pintores, escultores, arquitetos, decoradores, entre outros. Logo, como é extremamente rico em diversidade (a maior base de usuários criativos do mundo), a chance de o recrutador se distrair com trabalhos alheios aos seus é enorme.

Medium

Apesar de ser uma plataforma para criação de conteúdo escrito, a popularidade do Medium tem feito com que UX/UI Designers o usem bastante pois os principais nomes do mundo em nosso setor o usam para expôr seus pensamentos, compartilhar experiências e trazer dicas, fazendo sua contribuição sem fins lucrativos para o crescimento e desenvolvimento da comunidade global.

Em decorrência disso, UX/UI Designers têm feito uso dessa plataforma para portfolios, especialmente UX Designers de várias especialidades (Researchers, Writers, etc.). A extrema simplicidade do Medium torna o processo de documentação de um case muito fácil, pois basta contar uma boa história de seu case com imagens e textos. A grande sacada de estar baseado no nele, além de não ter custo, é ser encontrado facilmente em um lugar que concentra muitos leitores da área em busca de informação relevante. Para os avaliadores é uma forma bem objetiva e direta de análise, pois já existe a premissa de que portfolios no Medium estarão em formato de histórias, o que os agrada muito.

UXFol.io

É uma das plataformas mais novas, que diferente do Behance, é focada em UX/UI Designers. Por conta disso, é bem prático criar o seu case de projeto pois ele oferece um modelo interessante para auxiliar na estruturação, diferentes templates para você customizar, hints para ajudar a construir um conteúdo convincente, “embeda” links dos seus protótipos, cria travas de acesso para projetos protegidos por NDA e ainda facilita que você colha feedbacks da comunidade. UXFol.io oferece um plano free com boas vantagens, mas permite a publicação de apenas 1 projeto.

Notion

Essa plataforma destina-se a organizar e planejar melhor equipes, com excelentes recursos para melhorar processos de criação de produto, recursos humanos, vendas e marketing, e inclusive, boas ferramentas de design. Com o aumento de sua popularidade, o Notion tem atraído muitos UX/UI Designers para construir seus cases pela facilidade de uso e custo zero para uso pessoal, podendo ser usada em Web App e também em Desktop App. Ela também permite, em planos pagos, que você crie um site próprio mais completo com uma finalização visual simples e satisfatória.

Opções a evitar

Há soluções que não são aconselhadas por dificultarem muito a avaliação de empresas e recrutadores, a saber:

Dribbble

Apesar de ser uma plataforma excelente para sua finalidade — que é prover a criativos de todos os tipos a possibilidade de mostrarem seus trabalhos ao mundo, criarem boards com projetos de outros criativos e serem vistos por potenciais contratantes — o Dribbble não é indicado para UX/UI Designers pois o foco de avaliação desse tipo de profissional é o racional por trás das telas finais. Apenas mostrá-las, por mais que sejam belíssimas, não é suficiente para uma avaliação correta sobre seu perfil profissional.

Apps de Prototipagem

Adobe XD, Figma, Sketch e outros são maravilhosos para sua finalidade original, mas não para a construção de portfolios. Por mais que você crie uma experiência memorável ao avaliador, ou queira impressionar mostrando suas habilidades nesses apps, atente ao fato de que o avaliador nem sempre as conhece, e por isso, não sabe como manuseá-las. De nada adianta você criar uma tela de contato no XD, sendo que os links não podem levar o visitante aos seus respectivos destinos; Menos ainda adianta mostrar a jornada do usuário completa, se o que o avaliador quer é passar tela a tela sem perceber o tamanho do seu site.

Conclusão

Mais importante do que a sua escolha da plataforma, é o mindset de UX/UI Designer por trás do seu portfolio. Lembre-se sempre quem será o seu usuário final. Se seu portfolio cumprir os requisitos básicos citados, a escolha da plataforma torna-se realmente irrelevante. Opte pelo simples e funcional, conforme seu perfil. Boa sorte!

Mao Barros

Mao Barros

Receba alertas de novas vagas

Receba vagas originais da Deeploy e vagas da comunidade em seu e-mail toda semana.