Uma reflexão sobre planejamento de carreira para UX/UI Designers

UX/UI Designers amam o que fazem

Um dos pontos principais que nos fizeram criar um produto para UX/UI Designers é o simples fato de que esses profissionais amam o que fazem. Não há quase nada pior nesse mundo do que ter um emprego detestável, em que você não vê a hora de chegar a sexta ou que morre de medo da segunda. É de fato um privilégio enorme trabalhar no que se gosta. Confúcio já tinha dito: “Encontre um trabalho que ama e não terás que trabalhar um só dia em sua vida.”

Temos diversos relatos de UX/UI Designers contando que quando seus filhos perguntam o que fazem, se orgulham em dizer que fazem produtos pra melhorar a vida das pessoas. Como amam o que fazem, são pessoas muito mais positivas, e o reflexo disso é claro em suas vidas pessoais. Essa satisfação profissional é um dos fatores, inclusive, que tem feito profissionais de outras áreas migrarem para Product Design. Pessoas de gestão, psicologia, arquitetura e até mesmo advocacia tem encontrado em UX/UI Design uma terra firme para trazerem seus conhecimentos anteriores a agregar ao crescimento e desenvolvimento do setor, e encontrarem sua satisfação profissional. Além, é claro, de designers de diversas outras vertentes, que ao vislumbrarem esse novo universo, vêm sem olhar pra trás.

Conduzir vs. ser conduzido

Você não pode esperar que vagas maravilhosas em empresas bacanas simplesmente apareçam em sua frente. É preciso que tenha uma visão mais “macro” sobre o seu tempo de carreira pela frente, mapeando-o de forma a lhe proporcionar cada vez mais experiências novas. Em vez de somente ser conduzido, conduza.

Pensando friamente, na média, temos 40 anos altamente produtivos em nossa vida: entre os 20 e 60 anos de idade. Antes dos 20 você ainda estava condicionado ao seu aprendizado básico, e depois dos 60, por mais que ainda possa estar em plena atividade, seu ritmo já é mais limitado. Você pode pensar “caramba, mas são 40 anos”! Esse tempo passa rápido demais para você não experimentar coisas novas e não ousar. Nas gerações passadas as pessoas almejavam ficar seus 35 anos de carreira na mesma empresa, por uma série de fatores. Em nossa geração, dificilmente você vai encontrar uma pessoa em início de carreira que queira isso para todos os seus próximos anos de trabalho.

Você já parou para pensar no tamanho de nosso mercado? Ou ainda, no tamanho dele no mundo? Nesse exato momento, pode ser que exista uma empresa na Romênia, Suécia, Canadá, Nova Zelândia ou Austrália precisando de alguém como você. Isso sem contar que nosso “novo normal” é trabalhar remoto, ou seja, você nem mesmo precisa se mudar para trabalhar em uma empresa nesses países.

Se você está em início de carreira, é natural que você aceite quaisquer oportunidades que aparecerem, por seu ímpeto em aprender e se desenvolver. Mas à medida que você se torna mais experiente e mais competente, é possível começar a buscar empresas que você realmente queira trabalhar. Mesmo assim, como sabemos que empresas não tem dado muitas oportunidades para Juniores, não fique parado: Como dissemos no artigo “Ainda” sou um UX/UI Designer Júnior, ter iniciativa é um fator de altíssimo impacto para recém-chegados. Então você pode sim escolher onde quer trabalhar: Encontre uma empresa que precisa desesperadamente de um UX/UI Designer (com nenhuma ou baixa maturidade de design), identifique seus pontos de dor, crie um case e faça-lhes uma proposta. Ao nosso ver de recrutadores, essa é, sem dúvida, a melhor forma de se iniciar uma carreira brilhante em UX/UI Design.

O ponto que queremos trazer à tona é sua inquietude profissional. Vamos aos fatos: Nosso mercado é novo e extremamente promissor. Produtos digitais já consolidados precisam estar em constante evolução, ao passo que outros novos nascem todos os dias. Empresas estão percebendo que cada vez mais precisam centrar produtos a seus usuários, o que nos abre um leque enorme de possibilidades, em praticamente todos setores. Nossa extrema conectividade com o mundo expande ainda mais essas possibilidades, pois temos acesso a produtos de outras pessoas, culturas e públicos, que são feitos tecnicamente de forma muito similar, com praticamente as mesmas ferramentas. Só com esses fatores citados, você consegue imaginar onde pode chegar?

Desenhe sua carreira

Quando é a hora de mudar de empresa? Ao mesmo tempo que essa pergunta é altamente complexa e envolve diversos fatores, a resposta pode ser muito simples: É hora de mudar quando você perceber que parou de aprender e evoluir. A grande meta de planejar sua carreira é assegurar seu constante crescimento profissional, tendo plena ciência de que você jamais pode ficar estagnado. Não deixe fatores como estabilidade, altos salários e status lhe iludirem nessa jornada — Mantenha sua inquietude e sua fome por mais. Para isso, separamos 3 dicas para te ajudar a ter a visão macro de sua carreira:

Decomponha seu tempo de longo-prazo

Nos atendo aos “40 anos de alta produtividade” mencionados anteriormente, você pode decompô-los em períodos definidos. Não se engane em achar que é muito tempo: mapeie-os de forma inteligente para que tenha um norte de onde está e onde pretende chegar em sua vida profissional. O critério para esse planejamento fica a seu rigor — o importante é que simplesmente você o tenha. Se você já começou sua carreira faz tempo, faça do mesmo jeito, reduzindo os anos disponíveis. Para efeito de exemplo, vamos brincar com alguns números dentro dos 40 anos: Você pode trabalhar 20 anos em 2 empresas, 10 anos em 4 empresas, 5 anos em 8 empresas, e assim adiante. Qual desses cenários é mais o seu perfil?

Liste suas empresas preferidas

Seguindo o último exemplo, se você escolheu trabalhar na média 5 anos em 8 empresas, o primeiro passo seria fazer uma lista de empresas que você almeja. É impossível que não haja algum lugar que você sonha em trabalhar… Que todo UX/UI Designer adoraria trabalhar na Apple, Google e Facebook, já sabemos! Inclua-as em sua lista, mas também, outras empresas que podem agregar muito à sua jornada profissional, além das do setor de tecnologia. Você pode variar indústrias (varejo, saúde, financeiro, etc.), tamanho (de grandes corporações a startups) e produtos (apps, sites, plataformas, softwares, etc.).

Informe-se sobre elas

Tendo sua lista montada, vá a fundo em conhecer cada uma delas. Há muitas formas de fazer isso: Converse com pessoas que trabalham ou já trabalharam lá, conheça os produtos, entenda o market share, descubra a forma que contratam. Crie um padrão com esses indicadores, e alimente um documento (como uma planilha) com todas essas informações. Evidentemente, com o passar do tempo, você verá que suas preferências vão mudar: Então, basta manter esse documento atualizado.

Trate seu planejamento como meta

De nada adianta somente fazer uma lista, ficar sonhando e não caminhar adiante. A ideia é que você trate esse planejamento como uma meta profissional, colocando-a em um lugar de destaque em seu cotidiano para que se lembre todos os dias de onde quer chegar, sabendo qual fase da carreira você está naquele exato momento e quanto falta para chegar em seu próximo objetivo. Para isso, empresas como a Deeploy.Me podem te ajudar a dar seu próximo grande passo na carreira.

Conclusão

Não se deixe levar pela correnteza da vida profissional. Os anos se passam muito rápido para que você fique estagnado. Assuma o controle, fazendo um planejamento a longo prazo de como você pretende crescer profissionalmente e consolidar sua carreira.

We use cookies to give you the best experience. Cookie Policy

  1. Home
  2. Carreira
  3. Planeje como o trabalho afeta sua vida

Planeje como o trabalho afeta sua vida

Uma reflexão sobre planejamento de carreira para UX/UI Designers

UX/UI Designers amam o que fazem

Um dos pontos principais que nos fizeram criar um produto para UX/UI Designers é o simples fato de que esses profissionais amam o que fazem. Não há quase nada pior nesse mundo do que ter um emprego detestável, em que você não vê a hora de chegar a sexta ou que morre de medo da segunda. É de fato um privilégio enorme trabalhar no que se gosta. Confúcio já tinha dito: “Encontre um trabalho que ama e não terás que trabalhar um só dia em sua vida.”

Temos diversos relatos de UX/UI Designers contando que quando seus filhos perguntam o que fazem, se orgulham em dizer que fazem produtos pra melhorar a vida das pessoas. Como amam o que fazem, são pessoas muito mais positivas, e o reflexo disso é claro em suas vidas pessoais. Essa satisfação profissional é um dos fatores, inclusive, que tem feito profissionais de outras áreas migrarem para Product Design. Pessoas de gestão, psicologia, arquitetura e até mesmo advocacia tem encontrado em UX/UI Design uma terra firme para trazerem seus conhecimentos anteriores a agregar ao crescimento e desenvolvimento do setor, e encontrarem sua satisfação profissional. Além, é claro, de designers de diversas outras vertentes, que ao vislumbrarem esse novo universo, vêm sem olhar pra trás.

Conduzir vs. ser conduzido

Você não pode esperar que vagas maravilhosas em empresas bacanas simplesmente apareçam em sua frente. É preciso que tenha uma visão mais “macro” sobre o seu tempo de carreira pela frente, mapeando-o de forma a lhe proporcionar cada vez mais experiências novas. Em vez de somente ser conduzido, conduza.

Pensando friamente, na média, temos 40 anos altamente produtivos em nossa vida: entre os 20 e 60 anos de idade. Antes dos 20 você ainda estava condicionado ao seu aprendizado básico, e depois dos 60, por mais que ainda possa estar em plena atividade, seu ritmo já é mais limitado. Você pode pensar “caramba, mas são 40 anos”! Esse tempo passa rápido demais para você não experimentar coisas novas e não ousar. Nas gerações passadas as pessoas almejavam ficar seus 35 anos de carreira na mesma empresa, por uma série de fatores. Em nossa geração, dificilmente você vai encontrar uma pessoa em início de carreira que queira isso para todos os seus próximos anos de trabalho.

Você já parou para pensar no tamanho de nosso mercado? Ou ainda, no tamanho dele no mundo? Nesse exato momento, pode ser que exista uma empresa na Romênia, Suécia, Canadá, Nova Zelândia ou Austrália precisando de alguém como você. Isso sem contar que nosso “novo normal” é trabalhar remoto, ou seja, você nem mesmo precisa se mudar para trabalhar em uma empresa nesses países.

Se você está em início de carreira, é natural que você aceite quaisquer oportunidades que aparecerem, por seu ímpeto em aprender e se desenvolver. Mas à medida que você se torna mais experiente e mais competente, é possível começar a buscar empresas que você realmente queira trabalhar. Mesmo assim, como sabemos que empresas não tem dado muitas oportunidades para Juniores, não fique parado: Como dissemos no artigo “Ainda” sou um UX/UI Designer Júnior, ter iniciativa é um fator de altíssimo impacto para recém-chegados. Então você pode sim escolher onde quer trabalhar: Encontre uma empresa que precisa desesperadamente de um UX/UI Designer (com nenhuma ou baixa maturidade de design), identifique seus pontos de dor, crie um case e faça-lhes uma proposta. Ao nosso ver de recrutadores, essa é, sem dúvida, a melhor forma de se iniciar uma carreira brilhante em UX/UI Design.

O ponto que queremos trazer à tona é sua inquietude profissional. Vamos aos fatos: Nosso mercado é novo e extremamente promissor. Produtos digitais já consolidados precisam estar em constante evolução, ao passo que outros novos nascem todos os dias. Empresas estão percebendo que cada vez mais precisam centrar produtos a seus usuários, o que nos abre um leque enorme de possibilidades, em praticamente todos setores. Nossa extrema conectividade com o mundo expande ainda mais essas possibilidades, pois temos acesso a produtos de outras pessoas, culturas e públicos, que são feitos tecnicamente de forma muito similar, com praticamente as mesmas ferramentas. Só com esses fatores citados, você consegue imaginar onde pode chegar?

Desenhe sua carreira

Quando é a hora de mudar de empresa? Ao mesmo tempo que essa pergunta é altamente complexa e envolve diversos fatores, a resposta pode ser muito simples: É hora de mudar quando você perceber que parou de aprender e evoluir. A grande meta de planejar sua carreira é assegurar seu constante crescimento profissional, tendo plena ciência de que você jamais pode ficar estagnado. Não deixe fatores como estabilidade, altos salários e status lhe iludirem nessa jornada — Mantenha sua inquietude e sua fome por mais. Para isso, separamos 3 dicas para te ajudar a ter a visão macro de sua carreira:

Decomponha seu tempo de longo-prazo

Nos atendo aos “40 anos de alta produtividade” mencionados anteriormente, você pode decompô-los em períodos definidos. Não se engane em achar que é muito tempo: mapeie-os de forma inteligente para que tenha um norte de onde está e onde pretende chegar em sua vida profissional. O critério para esse planejamento fica a seu rigor — o importante é que simplesmente você o tenha. Se você já começou sua carreira faz tempo, faça do mesmo jeito, reduzindo os anos disponíveis. Para efeito de exemplo, vamos brincar com alguns números dentro dos 40 anos: Você pode trabalhar 20 anos em 2 empresas, 10 anos em 4 empresas, 5 anos em 8 empresas, e assim adiante. Qual desses cenários é mais o seu perfil?

Liste suas empresas preferidas

Seguindo o último exemplo, se você escolheu trabalhar na média 5 anos em 8 empresas, o primeiro passo seria fazer uma lista de empresas que você almeja. É impossível que não haja algum lugar que você sonha em trabalhar… Que todo UX/UI Designer adoraria trabalhar na Apple, Google e Facebook, já sabemos! Inclua-as em sua lista, mas também, outras empresas que podem agregar muito à sua jornada profissional, além das do setor de tecnologia. Você pode variar indústrias (varejo, saúde, financeiro, etc.), tamanho (de grandes corporações a startups) e produtos (apps, sites, plataformas, softwares, etc.).

Informe-se sobre elas

Tendo sua lista montada, vá a fundo em conhecer cada uma delas. Há muitas formas de fazer isso: Converse com pessoas que trabalham ou já trabalharam lá, conheça os produtos, entenda o market share, descubra a forma que contratam. Crie um padrão com esses indicadores, e alimente um documento (como uma planilha) com todas essas informações. Evidentemente, com o passar do tempo, você verá que suas preferências vão mudar: Então, basta manter esse documento atualizado.

Trate seu planejamento como meta

De nada adianta somente fazer uma lista, ficar sonhando e não caminhar adiante. A ideia é que você trate esse planejamento como uma meta profissional, colocando-a em um lugar de destaque em seu cotidiano para que se lembre todos os dias de onde quer chegar, sabendo qual fase da carreira você está naquele exato momento e quanto falta para chegar em seu próximo objetivo. Para isso, empresas como a Deeploy.Me podem te ajudar a dar seu próximo grande passo na carreira.

Conclusão

Não se deixe levar pela correnteza da vida profissional. Os anos se passam muito rápido para que você fique estagnado. Assuma o controle, fazendo um planejamento a longo prazo de como você pretende crescer profissionalmente e consolidar sua carreira.

Mao Barros

Mao Barros

Receba alertas de novas vagas

Receba vagas originais da Deeploy e vagas da comunidade em seu e-mail toda semana.