Aqui na Deeploy contratamos diversos profissionais da área de UX e Produto para os nossos clientes, como Designers, Writers, Researcher e Product Designers, e quais profissionais os nossos clientes solicitarem. Por isso faz parte da nossa missão entender profundamente o dia a dia desses profissionais, seus objetivos dentro das empresas alocadas, como funciona um setor de produto e muito mais.

Pensando nisso, hoje vamos falar em que contextos fora do UX Writing o storytelling está presente, e como a habilidade de contar histórias é importante em vários contextos, confira!

O storytelling é uma técnica poderosa e universal que transcende a simples arte de contar histórias. No contexto do UX, o storytelling vai além do copywriting, influenciando como projetamos e interagimos com produtos digitais.

O uso de narrativas eficazes pode enriquecer a experiência do usuário, tornando-a mais envolvente, memorável e intuitiva. Neste artigo, exploraremos como o storytelling pode ser aplicado em diferentes aspectos do design de UX, proporcionando exemplos práticos e insights sobre sua implementação.

Storytelling no contexto de UX

No design de UX, storytelling é a prática de usar elementos narrativos para guiar o usuário através de uma jornada, ajudando-os a entender, se conectar e interagir com um produto ou serviço de forma significativa. Ao criar uma narrativa coesa, os designers podem influenciar a percepção do usuário, evocar emoções e facilitar uma melhor compreensão das funcionalidades e benefícios do produto.

Exemplos de aplicação do storytelling no UX

1. Onboarding de usuários

O processo de onboarding é crucial para introduzir novos usuários a um produto. Utilizando storytelling, os designers podem transformar o onboarding em uma experiência envolvente e educacional. Por exemplo, um aplicativo de finanças pessoais pode iniciar o onboarding com a história de um personagem que enfrenta desafios financeiros e mostra como o uso do aplicativo o ajudou a organizar suas finanças e alcançar seus objetivos. Isso não só torna o processo mais interessante, mas também ajuda os usuários a visualizar os benefícios práticos do aplicativo.

2. Design de interface

Elementos visuais e interativos podem ser projetados para contar uma história. Por exemplo, um aplicativo de fitness pode usar ilustrações de um personagem em diferentes estágios de uma jornada de saúde e bem-estar. À medida que o usuário progride em suas metas, a interface muda para refletir essa evolução, criando uma narrativa visual que incentiva e motiva o usuário a continuar.

3. Microinterações

Microinterações são pequenas animações ou feedbacks visuais que ocorrem durante a interação do usuário com o produto. Essas interações podem ser usadas para contar uma história sutil. Por exemplo, ao completar uma tarefa em um aplicativo de produtividade, uma animação de confete pode surgir, celebrando a conquista do usuário. Esse pequeno momento narrativo reforça uma sensação de realização e progresso.

4. User flows

Os fluxos de usuários são mapeamentos das etapas que um usuário percorre para completar uma tarefa. Incorporar storytelling nos user flows pode ajudar a criar uma experiência mais coerente e intuitiva. Por exemplo, ao planejar um fluxo de checkout para um e-commerce, podemos estruturar a jornada como uma “aventura de compra”, onde cada etapa é apresentada como um capítulo de uma história, incentivando o usuário a completar sua jornada de compra.

5. Design de conteúdo

O conteúdo é uma parte fundamental do UX, e o storytelling pode ser aplicado para tornar o conteúdo mais atraente e fácil de entender. Artigos, tutoriais e descrições de produtos podem ser redigidos como narrativas, ajudando a manter o interesse do usuário e facilitando a absorção de informações complexas. Por exemplo, em vez de simplesmente listar os recursos de um software, podemos contar a história de como ele foi desenvolvido para resolver problemas específicos enfrentados pelos usuários.

Benefícios do storytelling no UX

1. Engajamento emocional

Histórias têm o poder de evocar emoções, o que pode aumentar o engajamento do usuário. Quando os usuários se conectam emocionalmente com uma história, eles estão mais propensos a lembrar da experiência e retornar ao produto.

2. Compreensão e retenção de informação

Storytelling facilita a compreensão e retenção de informações. Quando as informações são apresentadas como parte de uma narrativa, os usuários tendem a compreender melhor e lembrar por mais tempo.

3. Diferenciação de marca

Uma boa história pode diferenciar uma marca em um mercado saturado. Produtos que contam histórias únicas e envolventes se destacam e criam uma impressão duradoura nos usuários.

4. Motivação e persuasão

Histórias podem ser usadas para motivar e persuadir os usuários a tomar ações específicas. Ao ilustrar os benefícios e resultados através de narrativas, os usuários são mais inclinados a seguir adiante com a ação desejada.

Conclusão

O storytelling é uma ferramenta poderosa no arsenal de um designer de UX, oferecendo uma maneira eficaz de criar experiências mais ricas e significativas para os usuários. Ao incorporar elementos narrativos em diferentes aspectos do design, desde o onboarding até as microinterações, podemos melhorar o engajamento, a compreensão e a satisfação do usuário.

Em um mundo onde a experiência do usuário é cada vez mais valorizada, o storytelling se destaca como um diferenciador essencial, transformando produtos comuns em jornadas inesquecíveis.

E se você procura por uma oportunidade profissional na área de UX ou Produto, entre em nossa página de vagas e se candidate.

Se a sua empresa está procurando por candidatos de valor na área de UX e Produto, anuncie sua vaga conosco e conte com a nossa base.

We use cookies to give you the best experience. Cookie Policy

  1. Home
  2. Carreira
  3. O storytelling para além do UX Writing

O storytelling para além do UX Writing

Aqui na Deeploy contratamos diversos profissionais da área de UX e Produto para os nossos clientes, como Designers, Writers, Researcher e Product Designers, e quais profissionais os nossos clientes solicitarem. Por isso faz parte da nossa missão entender profundamente o dia a dia desses profissionais, seus objetivos dentro das empresas alocadas, como funciona um setor de produto e muito mais.

Pensando nisso, hoje vamos falar em que contextos fora do UX Writing o storytelling está presente, e como a habilidade de contar histórias é importante em vários contextos, confira!

O storytelling é uma técnica poderosa e universal que transcende a simples arte de contar histórias. No contexto do UX, o storytelling vai além do copywriting, influenciando como projetamos e interagimos com produtos digitais.

O uso de narrativas eficazes pode enriquecer a experiência do usuário, tornando-a mais envolvente, memorável e intuitiva. Neste artigo, exploraremos como o storytelling pode ser aplicado em diferentes aspectos do design de UX, proporcionando exemplos práticos e insights sobre sua implementação.

Storytelling no contexto de UX

No design de UX, storytelling é a prática de usar elementos narrativos para guiar o usuário através de uma jornada, ajudando-os a entender, se conectar e interagir com um produto ou serviço de forma significativa. Ao criar uma narrativa coesa, os designers podem influenciar a percepção do usuário, evocar emoções e facilitar uma melhor compreensão das funcionalidades e benefícios do produto.

Exemplos de aplicação do storytelling no UX

1. Onboarding de usuários

O processo de onboarding é crucial para introduzir novos usuários a um produto. Utilizando storytelling, os designers podem transformar o onboarding em uma experiência envolvente e educacional. Por exemplo, um aplicativo de finanças pessoais pode iniciar o onboarding com a história de um personagem que enfrenta desafios financeiros e mostra como o uso do aplicativo o ajudou a organizar suas finanças e alcançar seus objetivos. Isso não só torna o processo mais interessante, mas também ajuda os usuários a visualizar os benefícios práticos do aplicativo.

2. Design de interface

Elementos visuais e interativos podem ser projetados para contar uma história. Por exemplo, um aplicativo de fitness pode usar ilustrações de um personagem em diferentes estágios de uma jornada de saúde e bem-estar. À medida que o usuário progride em suas metas, a interface muda para refletir essa evolução, criando uma narrativa visual que incentiva e motiva o usuário a continuar.

3. Microinterações

Microinterações são pequenas animações ou feedbacks visuais que ocorrem durante a interação do usuário com o produto. Essas interações podem ser usadas para contar uma história sutil. Por exemplo, ao completar uma tarefa em um aplicativo de produtividade, uma animação de confete pode surgir, celebrando a conquista do usuário. Esse pequeno momento narrativo reforça uma sensação de realização e progresso.

4. User flows

Os fluxos de usuários são mapeamentos das etapas que um usuário percorre para completar uma tarefa. Incorporar storytelling nos user flows pode ajudar a criar uma experiência mais coerente e intuitiva. Por exemplo, ao planejar um fluxo de checkout para um e-commerce, podemos estruturar a jornada como uma "aventura de compra", onde cada etapa é apresentada como um capítulo de uma história, incentivando o usuário a completar sua jornada de compra.

5. Design de conteúdo

O conteúdo é uma parte fundamental do UX, e o storytelling pode ser aplicado para tornar o conteúdo mais atraente e fácil de entender. Artigos, tutoriais e descrições de produtos podem ser redigidos como narrativas, ajudando a manter o interesse do usuário e facilitando a absorção de informações complexas. Por exemplo, em vez de simplesmente listar os recursos de um software, podemos contar a história de como ele foi desenvolvido para resolver problemas específicos enfrentados pelos usuários.

Benefícios do storytelling no UX

1. Engajamento emocional

Histórias têm o poder de evocar emoções, o que pode aumentar o engajamento do usuário. Quando os usuários se conectam emocionalmente com uma história, eles estão mais propensos a lembrar da experiência e retornar ao produto.

2. Compreensão e retenção de informação

Storytelling facilita a compreensão e retenção de informações. Quando as informações são apresentadas como parte de uma narrativa, os usuários tendem a compreender melhor e lembrar por mais tempo.

3. Diferenciação de marca

Uma boa história pode diferenciar uma marca em um mercado saturado. Produtos que contam histórias únicas e envolventes se destacam e criam uma impressão duradoura nos usuários.

4. Motivação e persuasão

Histórias podem ser usadas para motivar e persuadir os usuários a tomar ações específicas. Ao ilustrar os benefícios e resultados através de narrativas, os usuários são mais inclinados a seguir adiante com a ação desejada.

Conclusão

O storytelling é uma ferramenta poderosa no arsenal de um designer de UX, oferecendo uma maneira eficaz de criar experiências mais ricas e significativas para os usuários. Ao incorporar elementos narrativos em diferentes aspectos do design, desde o onboarding até as microinterações, podemos melhorar o engajamento, a compreensão e a satisfação do usuário.

Em um mundo onde a experiência do usuário é cada vez mais valorizada, o storytelling se destaca como um diferenciador essencial, transformando produtos comuns em jornadas inesquecíveis.

E se você procura por uma oportunidade profissional na área de UX ou Produto, entre em nossa página de vagas e se candidate.

Se a sua empresa está procurando por candidatos de valor na área de UX e Produto, anuncie sua vaga conosco e conte com a nossa base.

Victoria Kiomy

Victoria Kiomy

Receba alertas de novas vagas

Receba vagas originais da Deeploy e vagas da comunidade em seu e-mail toda semana.