Porquê empresas tendem a só contratar Plenos e Sêniores

Definindo níveis

A nomenclatura de Juniores, Plenos ou Seniores, obviamente, é usada em todas as áreas. São o que define se a pessoa está no memento de sua carreira mais adequado para trabalhar no conjunto de tarefas que cada empresa oferece ao abrir suas vagas, de menos a mais experientes. Trazendo para o universo de UX/UI Design, como dissemos no artigo Como aplicar a uma vaga de UX/UI Designer, a estaca zero é entender das ferramentas e metodologias pra conseguir ter um entregável — o que já é esperado de um profissional júnior. Recapitulando, definimos dessa forma:

  • JÚNIOR: Sabe por a mão-na-massa, porém, por sua inexperiência, precisa de ajuda para completar tarefas.
  • PLENO: É capaz de executar de forma eficiente todos os papéis e tarefas, mas precisa de liderança e orientação para se manter no caminho.
  • SÊNIOR: Resolve problemas complexos sem ajuda e consegue guiar outras pessoas menos experientes.

Com esses diferentes níveis bem definidos, entendemos que na prática o fator humano comportamental é que faz toda a diferença na qualificação de um UX/UI Designer mais experiente. Estamos falando de Soft Skills: colaboratividade, empatia, inteligência emocional, habilidades de oratória, liderança, autogestão, entre outras. Essas são as competências que melhor determinam o nível de maturidade, acima das competências práticas. Logo, entendendo que o “saber fazer” não é uma barreira, as empresas podem estar considerando profissionais muito experientes para exercerem tarefas que muitas vezes poderiam estar sendo cobertas pelos menos experientes. Listo abaixo alguns exemplos de vantagem para considerar a contratação de Júniores:

Mais cabeças, mesmo custo

UX/UI Designers em nenhum momento podem ser tidos como apenas braços. A estrutura do que é fazer UX/UI Design já demanda muito mais que isso, e inclusive, esse é um dos fatores que mais tem atraído pessoas para essa área. Como dito pelo pessoal do UX Collective, “UX Designers são pensadores, tanto quanto são produtores”. Para nós, esse ponto transcende níveis de maturidade. Então considere que o custo de vários “pensadores iniciantes” pode ser igual ou menor ao de apenas 1 mais experiente.

Maturidades diferentes, para profissionais diferentes

Sabemos que as gigantes conhecidas são a menina-dos-olhos de profissionais mais experientes. Mas existem muitas empresas que ainda não tem tal maturidade de Design, ou o budget necessário para a composição de um time de estrelas. Nesse caso, pode ser mais interessante que busquem mais profissionais recém-formados, para ficarem sob a liderança de menos Seniores. Com o tempo e uma boa estratégia de UX, esse time pode amadurecer e crescer com uma solidez notável, ganhando a confiança da empresa por ter muito mais evangelizadores.

Seniores não se frustrarão

Em muitos casos, vemos UX/UI Seniores desistindo de seus empregos pelo fato de estarem exercendo tarefas menos estratégicas e mais operacionais, fazendo com que percam sua motivação. Em times somente de seniores, a seu tempo, haverá desconforto no dia-a-dia de trabalho, além de constantes questionamentos à liderança. Tendo um time mais misto, seniores conseguem exercer bem seu papel sem que o projeto perca o ritmo e os entregáveis sejam comprometidos, uma vez que a parte produtiva pode estar nas mãos dos menos experientes (desde que sejam devidamente assessorados).

Juniores supervalorizam o que seniores nem tanto

Naturalmente, a experiência de um Pleno e Sênior faz com que deixem que exercer uma série de tarefas. Note que, tarefas estas, podem ser feitas por Juniores que trazem diversos fatores relevantes que impulsionam sua performance, e automaticamente, a qualidade e velocidade do projeto:

  • Têm energia e são determinados;
  • São curiosos e tem muita vontade de aprender;
  • São mais abertos a críticas, com menos “ego”;
  • Têm uma rápida adaptação aos padrões;
  • Querem uma oportunidade de mostrar seu valor.

Diferentes níveis em seu Design Team

A evolução natural

Para as empresas maiores, é comum que os primeiros UX/UI Designers a serem contratados sejam mais experientes. Não simplesmente porque já sabem fazer (por já terem feito muitas vezes), mas para que conduzam a mudança de cultura na empresa, uma vez que UX gradualmente se tornará um departamento relevante para todo o negócio. Esse processo é longo, difícil e requer muita resiliência do time. Logo, com o tempo, o papel desses designers mais Seniores será alçar desafios cada vez mais difíceis, fazendo a capacidade de UX da empresa crescer como um todo, trazendo resultados e levando adiante essa cultura.

Com isso, terão que criar sua estratégia de crescimento, para que possam delegar suas tarefas iniciais a um time que dê continuidade aos entregáveis no mesmo ritmo e qualidade.

Crescer sem perder

Para fazer um Design Team crescer, deve-se, antes de mais nada, ter um modelo de trabalho bem desenhado e sólido vindo da liderança do departamento. Esse modelo precisa impreterivelmente seguir o raciocínio de que Contratação faz parte da Estratégia de UX, ou seja, essa estratégia precisa prever o momento de contratar, e definir bem quem contratar. Mas como fazer isso sem que hajam perdas?

É nesse momento que empresas optam por contratar apenas profissionais plenos ou Seniores, sob a premissa de que pessoas com pouca (ou nenhuma) experiência poderão pôr em risco a entrega do time. Mas, como dito anteriormente, não consideram o fato de que profissionais mais experientes tendem a perder o foco, produtividade e empolgação ao se depararem com o imenso trabalho de produção que os aguarda, não restando tempo para que exerçam o que mais querem fazer. Ao dar oportunidade para novos membros Juniores, a equipe pode se organizar para que os profissionais plenos os liderem, enquanto os Seniores podem investir o tempo e a dedicação necessários para superar os desafios mais difíceis.

Estrutura de treinamento

Faz-se importante a questão de que é recomendada uma estrutura interna de treinamento de pessoas. Com tal estrutura, o time poderá desenvolver-se com solidez, possibilitando uma escalabilidade que faça com que a produção permaneça no ritmo certo com entregáveis satisfatórios constantemente, considerando que cada nível de profissional esteja exercendo bem seu papel individual. Por esse motivo, torna-se importante começar a contratar pessoas que estão no início de suas carreiras. Terão menos habilidades, conhecimento e experiência do que os membros iniciais da equipe contratados; podem ter acabado de sair de Bootcamps ou podem ter apenas alguns anos de experiência de trabalho limitada; Mas ao se juntarem ao Design Team como aprendizes, com certeza trarão toda a sua força de produção e vontade de aprender, supervalorizando cada desafio e oportunidade que lhes for designada.

Conclusão

Planeje o crescimento de seu Design Team considerando variar bastante os níveis dos profissionais. Dessa forma, além de dar oportunidade a profissionais menos experientes, é possível manter velocidade e qualidade de produção, possibilitando que plenos e Seniores possam exercer suas atividades mais estratégicas.

Para construir seu Design Team, conte sempre com a Deeploy.Me. Saiba mais sobre nossas propostas para empresas nesse link.

We use cookies to give you the best experience. Cookie Policy

  1. Home
  2. Carreira
  3. Crie Design Teams com variedade de níveis

Crie Design Teams com variedade de níveis

Porquê empresas tendem a só contratar Plenos e Sêniores

Definindo níveis

A nomenclatura de Juniores, Plenos ou Seniores, obviamente, é usada em todas as áreas. São o que define se a pessoa está no memento de sua carreira mais adequado para trabalhar no conjunto de tarefas que cada empresa oferece ao abrir suas vagas, de menos a mais experientes. Trazendo para o universo de UX/UI Design, como dissemos no artigo Como aplicar a uma vaga de UX/UI Designer, a estaca zero é entender das ferramentas e metodologias pra conseguir ter um entregável — o que já é esperado de um profissional júnior. Recapitulando, definimos dessa forma:

  • JÚNIOR: Sabe por a mão-na-massa, porém, por sua inexperiência, precisa de ajuda para completar tarefas.
  • PLENO: É capaz de executar de forma eficiente todos os papéis e tarefas, mas precisa de liderança e orientação para se manter no caminho.
  • SÊNIOR: Resolve problemas complexos sem ajuda e consegue guiar outras pessoas menos experientes.

Com esses diferentes níveis bem definidos, entendemos que na prática o fator humano comportamental é que faz toda a diferença na qualificação de um UX/UI Designer mais experiente. Estamos falando de Soft Skills: colaboratividade, empatia, inteligência emocional, habilidades de oratória, liderança, autogestão, entre outras. Essas são as competências que melhor determinam o nível de maturidade, acima das competências práticas. Logo, entendendo que o “saber fazer” não é uma barreira, as empresas podem estar considerando profissionais muito experientes para exercerem tarefas que muitas vezes poderiam estar sendo cobertas pelos menos experientes. Listo abaixo alguns exemplos de vantagem para considerar a contratação de Júniores:

Mais cabeças, mesmo custo

UX/UI Designers em nenhum momento podem ser tidos como apenas braços. A estrutura do que é fazer UX/UI Design já demanda muito mais que isso, e inclusive, esse é um dos fatores que mais tem atraído pessoas para essa área. Como dito pelo pessoal do UX Collective, “UX Designers são pensadores, tanto quanto são produtores”. Para nós, esse ponto transcende níveis de maturidade. Então considere que o custo de vários “pensadores iniciantes” pode ser igual ou menor ao de apenas 1 mais experiente.

Maturidades diferentes, para profissionais diferentes

Sabemos que as gigantes conhecidas são a menina-dos-olhos de profissionais mais experientes. Mas existem muitas empresas que ainda não tem tal maturidade de Design, ou o budget necessário para a composição de um time de estrelas. Nesse caso, pode ser mais interessante que busquem mais profissionais recém-formados, para ficarem sob a liderança de menos Seniores. Com o tempo e uma boa estratégia de UX, esse time pode amadurecer e crescer com uma solidez notável, ganhando a confiança da empresa por ter muito mais evangelizadores.

Seniores não se frustrarão

Em muitos casos, vemos UX/UI Seniores desistindo de seus empregos pelo fato de estarem exercendo tarefas menos estratégicas e mais operacionais, fazendo com que percam sua motivação. Em times somente de seniores, a seu tempo, haverá desconforto no dia-a-dia de trabalho, além de constantes questionamentos à liderança. Tendo um time mais misto, seniores conseguem exercer bem seu papel sem que o projeto perca o ritmo e os entregáveis sejam comprometidos, uma vez que a parte produtiva pode estar nas mãos dos menos experientes (desde que sejam devidamente assessorados).

Juniores supervalorizam o que seniores nem tanto

Naturalmente, a experiência de um Pleno e Sênior faz com que deixem que exercer uma série de tarefas. Note que, tarefas estas, podem ser feitas por Juniores que trazem diversos fatores relevantes que impulsionam sua performance, e automaticamente, a qualidade e velocidade do projeto:

  • Têm energia e são determinados;
  • São curiosos e tem muita vontade de aprender;
  • São mais abertos a críticas, com menos “ego”;
  • Têm uma rápida adaptação aos padrões;
  • Querem uma oportunidade de mostrar seu valor.

Diferentes níveis em seu Design Team

A evolução natural

Para as empresas maiores, é comum que os primeiros UX/UI Designers a serem contratados sejam mais experientes. Não simplesmente porque já sabem fazer (por já terem feito muitas vezes), mas para que conduzam a mudança de cultura na empresa, uma vez que UX gradualmente se tornará um departamento relevante para todo o negócio. Esse processo é longo, difícil e requer muita resiliência do time. Logo, com o tempo, o papel desses designers mais Seniores será alçar desafios cada vez mais difíceis, fazendo a capacidade de UX da empresa crescer como um todo, trazendo resultados e levando adiante essa cultura.

Com isso, terão que criar sua estratégia de crescimento, para que possam delegar suas tarefas iniciais a um time que dê continuidade aos entregáveis no mesmo ritmo e qualidade.

Crescer sem perder

Para fazer um Design Team crescer, deve-se, antes de mais nada, ter um modelo de trabalho bem desenhado e sólido vindo da liderança do departamento. Esse modelo precisa impreterivelmente seguir o raciocínio de que Contratação faz parte da Estratégia de UX, ou seja, essa estratégia precisa prever o momento de contratar, e definir bem quem contratar. Mas como fazer isso sem que hajam perdas?

É nesse momento que empresas optam por contratar apenas profissionais plenos ou Seniores, sob a premissa de que pessoas com pouca (ou nenhuma) experiência poderão pôr em risco a entrega do time. Mas, como dito anteriormente, não consideram o fato de que profissionais mais experientes tendem a perder o foco, produtividade e empolgação ao se depararem com o imenso trabalho de produção que os aguarda, não restando tempo para que exerçam o que mais querem fazer. Ao dar oportunidade para novos membros Juniores, a equipe pode se organizar para que os profissionais plenos os liderem, enquanto os Seniores podem investir o tempo e a dedicação necessários para superar os desafios mais difíceis.

Estrutura de treinamento

Faz-se importante a questão de que é recomendada uma estrutura interna de treinamento de pessoas. Com tal estrutura, o time poderá desenvolver-se com solidez, possibilitando uma escalabilidade que faça com que a produção permaneça no ritmo certo com entregáveis satisfatórios constantemente, considerando que cada nível de profissional esteja exercendo bem seu papel individual. Por esse motivo, torna-se importante começar a contratar pessoas que estão no início de suas carreiras. Terão menos habilidades, conhecimento e experiência do que os membros iniciais da equipe contratados; podem ter acabado de sair de Bootcamps ou podem ter apenas alguns anos de experiência de trabalho limitada; Mas ao se juntarem ao Design Team como aprendizes, com certeza trarão toda a sua força de produção e vontade de aprender, supervalorizando cada desafio e oportunidade que lhes for designada.

Conclusão

Planeje o crescimento de seu Design Team considerando variar bastante os níveis dos profissionais. Dessa forma, além de dar oportunidade a profissionais menos experientes, é possível manter velocidade e qualidade de produção, possibilitando que plenos e Seniores possam exercer suas atividades mais estratégicas.

Para construir seu Design Team, conte sempre com a Deeploy.Me. Saiba mais sobre nossas propostas para empresas nesse link.

Mao Barros

Mao Barros

Receba alertas de novas vagas

Receba vagas originais da Deeploy e vagas da comunidade em seu e-mail toda semana.